Saiba como utilizar essa técnica

Criar os chamados mapas mentais é uma boa forma de estudar e compreender a informação. Eles ajudam a reter e conectar as informações de uma maneira visual, ajudando na memorização e visualização do conteúdo.

Você sabe o que são os mapas mentais? São informações estruturadas num esquema de setas, palavras destacadas, caixas de texto, diagramas, cores, imagens e tudo que possa chamar sua atenção para aquele mapa. Assim, as informações são organizadas de maneira simples, é possível dar mais relevância ao conteúdo e auxiliar o cérebro a fazer novas associações.

Sabia que eles podem te auxiliar muito na hora dos estudos? Use esses esquemas, agregando setas e desenhando diagramas. Segundo especialistas, esses mapas mentais podem ser feitos à mão ou de maneira digital, vale a preferência do estudante.

Na hora de estudar para provas ou apenas para relembrar o conteúdo, a matéria estará toda organizada a fim de fazer com que o aluno encontre e entenda as conexões entre os assuntos. Não existe um modelo específico para seguir, cada um é livre para criar seus mapas da maneira que preferir, porém, o ideal é que sejam utilizadas muitas cores.

Os mapas mentais funcionam por um motivo simples: eles resumem o conteúdo e, por serem rápidos de visualizar e compreender, acabam ajudando na concentração e consequentemente são mais eficazes.

Antes de uma prova, por exemplo, muitas vezes o aluno não tem tempo de reler todo o conteúdo de uma apostila ou de um livro, mas pode ativar a memória sobre aquele determinado assunto apenas com a utilização de um mapa mental.

Utilizando esse método unido com as suas anotações, sua maneira de aprender pode evoluir bastante. Confira algumas dicas para montar o seu:

  • Comece pela ideia central: escreva sobre o que se trata aquele mapa;
  • Adicione datas e informações relevantes: é fundamental ter fundamento teórico para que o mapa funcione de maneira efetiva;
  • Adicione as informações mais importantes: responda a perguntas do tipo “como?”, “quando?”, “onde?” e “por quê?”;
  • Procure manter o mapa claro e organizado: muitas informações apresentadas de maneira desconexa podem atrapalhar ao invés de ajudar. O ideal é que um assunto seja ligado ao outro de maneira natural e, se for necessário, é possível fazer mais de um mapa mental para o mesmo assunto;
  • Lembre-se de utilizar palavras-chave: não se preocupe com repetições;
  • Descubra como você aprende melhor: uma das principais teorias dos estilos de aprendizagem é a teoria VARK (sigla em inglês que se refere às palavras visual, auditive, reading e kinesthetic). A teoria VARK divide estudantes em quatro categorias: visual, auditiva, leitura/escrita e cinestésico e sugere que cada pessoa aprende melhor de uma determinada forma. Combinando duas ou mais formas diferentes de abordar o mesmo assunto, o resultado no aprendizado é mais eficaz.

Por isso, é muito importante que o estudante busque sempre maneiras diferentes de aprender, testando novas ferramentas como o mapa mental, por exemplo.

E você? Qual método de aprendizagem combina melhor com o seu perfil?

agencia