Neste ano, o educador Paulo Freire, que é uma das principais referências para a Pedagogia, completaria 100 anos de idade. E este será um dos temas explorados na 3ª Jornada Pedagógica, realizada pela Faculdade FUTURA – Grupo Educacional FAVENI nos dias 31 deste mês, 1º e 2 de junho.

Esta é a segunda edição virtual do evento, que, por conta da pandemia, não pode ser realizada presencialmente. Por isso, as seis palestras serão transmitidas pelo canal da Faculdade no YouTube.

A Jornada será aberta e gratuita, bastando clicar nos links constantes na programação abaixo, nas datas e horários especificados, para assistir às lives. No chat, durante o evento, serão disponibilizados os links para a certificação de 20 horas.

Jornada

O tema geral do evento será “conectando e compartilhando aprendizagens”. Dentro dele, seis palestrantes vão esmiuçar subtemas, todos pertinentes ao contexto atual da área de Pedagogia.

“As temáticas da Jornada vêm trazer algumas reflexões sobre esse momento pandêmico. Quanto o aluno necessita ter habilidade emocional para lidar com esses fatores, assim como os professores, até mesmo para transmitir conhecimento com a mesma qualidade. Outro debate importantíssimo é a questão da tecnologia, desse ‘novo normal’, com formato tecnológico, que não era previsto e não fez parte da nossa formação de professor”, explicou Tiago Moreno, atual Gestor de Políticas Acadêmicas, ao Jornal A Cidade.

O gestor também ressaltou que Paulo Freire já citava, em suas obras, sobre construir (e reconstruir) a educação e disse: “Nesse momento que estamos vivendo, a gente está reconstruindo um novo formato de educação e aprendizado. Paulo Freire falou muito dessa reflexão, que às vezes é necessário a gente quebrar paradigmas e preconceitos para ensinar e trazer uma nova visão de aprendizado, num novo formato”.

‘Medo e ousadia’

Quando o assunto é Paulo Freire, a Pedagoga Nadiesca Pohlmann, que também é Mestra em Educação e Gestora Educacional do Grupo FAVENI, é uma referência. Na 3ª Jornada Pedagógica da FUTURA, ela vai falar sobre medo e ousadia na pandemia.

A semelhança entre seu tema e o livro “Medo e Ousadia”, publicado por Paulo Freire em 1986, não é mera coincidência. Ao Jornal A Cidade, a pedagoga falou sobre como se inspirou na obra do educador para traçar paralelos com o contexto atual da pandemia, além dos seus impactos na Pedagogia.

“No ano passado, a gente se deparou com um vírus invisível e ninguém sabia como lidar com ele. Era imbatível. Foi um medo geral. Na população, nas famílias, nos alunos, nos professores. Ao longo de 2020, a ousadia começou a tomar conta e o medo foi se acalmando”, disse a pedagoga.

No livro, que é um diálogo entre Paulo Freire e o professor Ira Shor, eles falam sobre os problemas que as pessoas precisam enfrentar e a importância (e necessidade) do medo para isso.

“A gente não pode deixar que o medo nos paralise. Imagine, se, em 2020, nós ficássemos só com medo, sem ter a ousadia. Nós iríamos ficar todos paralisados, sem buscar alternativas. Então, foi com a ousadia e as palavras de Paulo Freire, com essa ‘desacomodação’, que a gente teve que se reorganizar. Nós tivemos que nos reinventar na educação”, explicou Nadiesca Pohlmann.

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

31/5 – cutt.ly/jbM51Vg
19h – Patrícia Dosse: “A importância da educação socioemocional”;
20h30 – Luciene Rodrigues: “Gamificação: como construir e aprender em sala de aula”;

01/6 – cutt.ly/ibM5411
19h – Luciana Costa: “Classe Hospitalar e o atendimento na pandemia”;
20h30 – Nadiesca Pohlmann: “O medo e a ousadia no contexto da Pandemia”;

02/6 – cutt.ly/NbM6wok
19h – Elaine de Oliveira: “A Literatura na Educação Infantil”;
20h30 – Karen Rodrigues: “A literatura e o universo infantil”.

 

midia