A pesquisa sobre índices de tentativas de suicídio na adolescência, realizada pelos professores Me. Tiago Moreno Lopes Roberto, Me. Elimeire Alves de Oliveira e Dra. Ana Paula Rodrigues, da Faculdade FUTURA de Votuporanga – Grupo Educacional FAVENI e pelo psiquiatra Dr. Gerardo Maria de Araujo Filho (Famerp), chegou às páginas da edição deste mês da Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciências e Educação.
O artigo levanta uma discussão em duas frentes. A primeira é a existência desse problema, geralmente associado somente aos adultos, entre os adolescentes. A segunda é a necessidade de ações preventivas no ambiente da educação, contexto no qual os adolescentes estão inseridos e passam a maior parte do seu tempo.
Em entrevista ao jornal A Cidade, o Gestor de Políticas Acadêmicas da Faculdade FUTURA Tiago Moreno, que é psicólogo e também leciona na Unirp (São José do Rio Preto), comentou sobre a importância de explorar esses assuntos e ser publicado por uma importante revista científica.

Discussões

De acordo com o professor, o suicídio é uma questão de saúde pública e multifatorial, isto é, existem vários fatores que determinam esse comportamento.
“Isso exige da educação e do professor um novo olhar para esses alunos. Um olhar mais cauteloso e atencioso para esses comportamentos. Exige uma atenção maior dentro da área da educação”, explicou.
Além dessa atenção diferenciada, a pesquisa ressalta a necessidade da realização de trabalhos que envolvam alunos enfrentando esse tipo de problema. Até porque, de acordo com os pesquisadores, deve existir uma comunicação entre as instituições de educação e saúde. Ainda segundo eles, existe uma possível fragmentação ocasionando a falta de atenção desse adolescente que encontra-se em sofrimento.
“Nós, professores da Faculdade Futura, nos preocupamos com os nossos alunos e com o futuro da educação, por isso, achamos pertinente pesquisar e escrever sobre a prevenção do suicídio dentro do ambiente educacional, não só do ensino superior, mas também no médio e fundamental. Esse olhar tem que se estender para toda a área da educação”, afirmou Tiago Moreno.
“Com a finalidade de minimizar efeitos nocivos à saúde mental de nossos alunos, instituímos o NAP – Núcleo de Apoio Psicopedagógico, que atualmente é coordenado pelo Psicólogo Prof. Murilo Martins. O núcleo, como o próprio nome já diz, oferece apoio, principalmente neste delicado período de pandemia em que é natural sofrermos mais com gatilhos como pressão, medo e incertezas”, completou o Gestor.

Publicação

Apesar de classificar a experiência de ter o artigo publicado pela revista como gratificante, o professor Tiago Moreno ressaltou que o objetivo da ciência é contribuir com a sociedade, propagando conhecimento.
“A ciência não vem para trazer benefícios para o pesquisador. A ciência vem para gerar um bem para a sociedade. Então, é muito gratificante quando o pesquisador consegue atingir, por meio da sua pesquisa, outros olhares, outras perspectivas, proporcionando novas práticas de atuação profissional em diversos contextos: educação, organizações e saúde, por exemplo. Esse é o objetivo da ciência”, concluiu o professor.

Nova revista da FUTURA

A Faculdade FUTURA de Votuporanga está prestes a lançar a “Revista Eletrônica Ciência & Tecnologia FUTURA”.
Sobre isso, a reportagem conversou com o professor Me. Sileno Marcos Araujo Ortin, responsável pelo desenvolvimento da publicação. De acordo com o docente, a previsão é que a primeira edição da revista seja concluída até a próxima semana.
A publicação eletrônica será semestral, com foco nas áreas de administração, ciências contábeis, recursos humanos e pedagogia. O professor também disse que o acesso à revista será aberto a todos os interessados, no site da faculdade (www.faculdadefutura.com.br).
“Será uma revista científica, para que os professores possam expor seus trabalhos, os resultados das suas pesquisas e estudos. Isso é de crucial importância para o desenvolvimento dos leitores e para alavancar a carreira docente, explicou Ortin.
O docente acrescentou que os alunos da faculdade também poderão submeter artigos desenvolvidos sob orientação dos professores à aprovação para posterior publicação. Além disso, serão aceitos artigos científicos de pesquisadores extrainstitucionais, desde que atendam sua linha editorial.

Fonte: Pedro Spadoni/A Cidade

midia